sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Com a P-57, poderá ser extraído no ES 500 mil barris/dia até 2015

Unidade poderá ser conectada aos primeiros poços e deverá extrair seu primeiro óleo até meados de novembro.



A Petrobras espera produzir 500 mil barris por dia no Parque das Baleias no Espírito Santo, em 2015, disse o gerente executivo de Exploração e Produção da empresa, José Antônio de Figueiredo, em entrevista sobre o lançamento da plataforma da P-57, que será destinada ao campo de Jubarte. A plataforma será inaugurada amanhã, em Angra dos Reis, pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mas só na próxima semana é que serão feitos os testes de navegação e resistência da plataforma. A unidade poderá ser conectada aos primeiros poços e deverá extrair seu primeiro óleo até meados de novembro. A produção deve atingir o pico em 2012.

A plataforma teve um custo de US$ 1,2 bilhão e tem conteúdo nacional divulgado pela Petrobras na casa dos 68%. O Parque das Baleias é um grupo formado por sete campos petrolíferos na Bacia de Campos, a cerca de 80 quilômetros da costa capixaba. Além da  P-57, a plataforma FPSO Capixaba, na área de Baleia Franca, entrou em operação este ano e deve atingir pico de produção ao longo de 2011.

Também na área, já está a plataforma P-34, que atua no campo de Jubarte desde o final de 2006 e que foi a primeira a retirar petróleo da camada pré-sal no Brasil. Em 2012, será a vez da entrada em produção da plataforma Cidade de Anchieta, que extrairá petróleo do pré-sal de seis poços no Campo de Baleia Azul. Também para a área, a Petrobras está finalizando a contratação da P-58, que produzirá petróleo do pós-sal e do pré-sal, além da P-34, que passará por adaptações no estaleiro, voltará para produzir petróleo do pós-sal no campo de Baleia Azul.

Replicantes
A Petrobras pretende utilizar a  P-57 como base para novos projetos replicantes (idênticos). As duas primeiras unidades a serem contratadas sob o mesmo modelo serão as plataformas P-58 e P-62, já em processo final de licitação. O mesmo modelo também será adotado para a P-63 e para todos os navios-plataformas do tipo FPSO que vão operar no pré-sal da Bacia de Santos.

Segundo o gerente de projetos da estatal, Pedro Barusco, as plataformas são idênticas à  P-57, mas adotam o sistema de contratação da P-55, com a Petrobras atuando como uma EPC (Engenharia Projeto Consultoria), com a encomenda dos pacotes separadamente. "À época da P-55 e P-57, chegamos a cancelar as licitações das duas plataformas, porque elas custavam mais de US$ 2 bilhões e só seriam entregues em 2012. O processo de contratação que adotamos permitiu simplificar o projeto e entregá-las antes e por um custo mais baixo", afirmou o gerente executivo de Exploração e Produção, José Antônio de Figueiredo, que substituiu o diretor de E&P da estatal, Guilherme Estrella na entrevista coletiva sobre a inauguração da plataforma P-57.

Segundo Barusco, os cascos das duas plataformas P-58 e P-62 estão sendo convertidos em Cingapura e as licitações dos principais pacotes com módulos de geração de energia, compressão de gás e a integração de todos os módulos estão sendo concluídas, já tendo sido apresentadas todas as propostas. "Tanto a  P-57, quanto as plataformas P-58 e P-62 tiveram a conversão de seus cascos em Cingapura por falta de capacidade de construção aqui no Brasil", disse Barusco.

Segundo ele, a falta de um espaço para a realização destas obras é que fez com que a Petrobras arrendasse o antigo estaleiro Ishibrás, no porto do Rio para reformá-lo e colocar ali as obras de construção, conversão e manutenção de plataformas no Brasil. "Isso vai incrementar o conteúdo nacional das próximas plataformas", disse Barusco.

 

De olho nos acontecimentos...

De olho nos acontecimentos...

Galo Até Morrer!!!

Galo Até Morrer!!!
Super Galo

Minha Princesinha

Minha Princesinha

Galerinha do Barulho rsrsrs...

Galerinha do Barulho rsrsrs...
Filhotes, Filhos

Minha vida

Minha vida
Família

EU E MINHA TURMINHA LINDA

EU E MINHA TURMINHA LINDA
FAMÍLIA