sexta-feira, 8 de outubro de 2010

PETROBRAS BATIZA A "P-57"

Petrobras retoma as plataformas gigantes



A Petrobras batiza sua primeira plataforma gigante a entrar em operação nos últimos três anos. Com capacidade de 180 mil barris de petróleo por dia, a P-57 deve começar a produzir petróleo no Parque das Baleias, porção norte da Bacia de Campos, no litoral capixaba, no fim de novembro. Desde a P-54, em dezembro de 2007, a estatal só vinha colocando unidades menores em operação.
Fabio Motta
Fabio Motta
Pós-sal. A plataforma P-57 foi desenhada antes da descoberta do pré-sal na região
Parte das obras da P-57 foram realizadas no estaleiro Brasfels, em Angra dos Reis, onde será a cerimônia de batismo, com presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo o secretário de Desenvolvimento do Espírito Santo, Márcio Félix, a previsão é que a unidade chegue na locação no fim de outubro, com a produção do primeiro óleo em até quatro semanas depois.
"É um momento muito positivo para o Estado. Devemos fechar o ano com uma produção de 300 mil barris por dia e atingir os 400 mil barris em 2011", afirmou Félix. O Espírito Santo é hoje o segundo maior produtor de petróleo do Brasil, com 250 mil barris por dia. Em julho, a Petrobrás anunciou no Estado a primeira produção comercial no pré-sal brasileiro, por meio do navio-plataforma FPSO Capixaba, também na província petrolífera do Parque das Baleias.
A P-57 também produzirá apenas óleo do pós-sal - a unidade foi desenhada antes da descoberta do pré-sal na região. Deve atingir sua capacidade máxima em 2011, contribuindo para o aumento da produção nacional de petróleo, que bateu recorde histórico de 2,078 milhões de barris por dia em agosto, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP).
O crescimento da produção nos últimos anos se deu pela inauguração de plataformas de menor porte, entre 100 mil e 120 mil barris por dia. O FPSO (sigla em inglês para unidade flutuante de produção, estocagem e transferência de petróleo) Capixaba é um exemplo: com 100 mil barris por dia, foi deslocada do Campo de Golfinho, na Bacia do Espírito Santo, para produzir óleo do pré-sal no Campo de Cachalote, no Parque das Baleias.
Nessa lista, pode-se incluir ainda os FPSO Cidade de Niterói e Cidade de São Vicente, que começaram em 2009 a operar nos Campos de Marlim Leste, na Bacia de Campos, e no piloto de Tupi, na Bacia de Santos, respectivamente. A opção por plataformas menores tem por objetivo agilizar o início da produção nos campos considerados prioritários e vem gerando críticas da indústria nacional, uma vez que são unidades geralmente construídas no exterior.
Depois da P-57, a próxima plataforma gigante a entrar em operação será a P-56, também em obras no Brasfels. Também com capacidade de 180 mil barris por dia, a unidade será instalada no Campo de Marlim Sul, com previsão de início de operações em 2011. A P-55, que completa a lista das três grandes unidades em obras, está no estaleiro Rio Grande, e vai para o Campo de Roncador, o maior produtor brasileiro, também na Bacia de Campos.
Royalties. A produção da P-57 vai beneficiar com royalties os municípios do litoral sul do Espírito Santo, como Anchieta e Itapemirim. Segundo Félix, a expectativa é que a arrecadação de Estado e prefeituras ultrapasse R$ 1 bilhão em 2011, por conta do aumento da produção local. Este ano, o valor deve ficar pouco acima dos R$ 700 milhões.

Gigantismo
180 mil
barris diários é a capacidade de produção da P-57
250 mil
barris diários é a produção hoje do Espírito Santo
400 mil
barris/dia é a previsão para 2011
R$ 700 mi
é a previsão da arrecadação com royalties pelo Estado este ano
R$ 1 bi
é a previsão para 2011 


De olho nos acontecimentos...

De olho nos acontecimentos...

Galo Até Morrer!!!

Galo Até Morrer!!!
Super Galo

Minha Princesinha

Minha Princesinha

Galerinha do Barulho rsrsrs...

Galerinha do Barulho rsrsrs...
Filhotes, Filhos

Minha vida

Minha vida
Família

EU E MINHA TURMINHA LINDA

EU E MINHA TURMINHA LINDA
FAMÍLIA