segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Até o fim do ano Nuclep entrega 14 equipamentos para plataformas

Petrobras receberá material para P-58 e P-62 e navio processador de óleo.
Nuclep participa ainda de construção de submarinos franceses.


Até o fim de 2012, a Nuclebrás Equipamentos Pesados (Nuclep) entrega à Petrobras 14 equipamentos para as plataformas P-58 e P-62 e o navio processador de óleo Cidade de Paraty. Somente esses contratos empregam 2.500 trabalhadores, informou a estatal na sexta-feira (3).
A estatal anunciou ainda que já participa da fabricação dos submarinos Scorpéne, de tecnologia francesa, construindo a estrutura e o casco resistente de quatro submarinos convencionais e um a propulsão nuclear que ajudarão na patrulha dos campos do pré-sal.
Segundo a Marinha anunciou no início de julho, até 2047 a expectativa é de se construir mais 10 submarinos, além dos já em execução, e revitalizar cinco antigos, informou a Nuclep.
“Pela excelência de seu trabalho, a Nuclep precisa ter a garantia de sua participação nos grandes projetos nacionais. Não se trata de fechar o mercado, mas garantir a predominância do conteúdo nacional em equipamentos como as plataformas de petróleo e, onde houver interesse em parcerias internacionais, buscar sempre a transferência de tecnologia”, disse Alexandre Navarro, secretário-executivo do Ministério da Integração Nacional e presidente do Conselho Fiscal da Nuclep.
Para a gerente de Qualidade da Nuclep, Valdete Couto, os números do setor industrial no mundo apontam para índices ainda mais preocupantes nos próximos trimestres, com a redução da capacidade europeia e a desaceleração da China, e, para passar ao largo da crise, a indústria fluminense aposta na qualificação de profissionais e na busca de certificações que a transforme em excelência em seu segmento.

Certificações

Segundo disse, a Nuclep diversificou sua área de atuação: um dos principais parques industriais do estado, criado para dar apoio ao Programa Nuclear Brasileiro, em 1979, hoje responde pelos equipamentos das usinas nucleoenergéticas de Angra, e atende à Petrobras em equipamentos para plataformas e para o Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (Comperj), em Itaboraí, na Região Metropolitana do Rio.
“Há uma preocupação grande na conquista de certificações internacionais, como a Asme III, que permite a construção e certificação de equipamentos nucleares, para criar um diferencial. Somos a única empresa nacional com essa certificação, o que nos abre as portas para concorrências internacionais e permite um desenvolvimento sustentável nos próximos anos”, disse Valdete Couto.
Segundo a gerente, além de ampliar o mercado, as certificações servem para transformar a mão de obra da empresa em uma das mais desejadas do mercado. O Centro de Treinamento Técnico (CTT) deu origem às escolas de fábrica em todo o país, e contribui com quase 60% do “chão de fábrica”, explica Valdete Couto.

De olho nos acontecimentos...

De olho nos acontecimentos...

Galo Até Morrer!!!

Galo Até Morrer!!!
Super Galo

Minha Princesinha

Minha Princesinha

Galerinha do Barulho rsrsrs...

Galerinha do Barulho rsrsrs...
Filhotes, Filhos

Minha vida

Minha vida
Família

EU E MINHA TURMINHA LINDA

EU E MINHA TURMINHA LINDA
FAMÍLIA