quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Fabricantes brasileiros fornecerão 64% dos equipamentos para exploração do pré-sal

Publicação: Karla Mendes - Correio Braziliense.

A indústria brasileira produzirá 64% dos equipamentos necessários para a exploração do pré-sal. Na prática, isso significa que as encomendas do setor de petróleo para fornecedores locais saltarão dos atuais US$ 12 bilhões para US$ 20 bilhões por ano na próxima década. “Dos investimentos relacionados a projetos (de exploração do pré-sal) no país, cerca de 64% serão colocados junto ao mercado fornecedor local, levando a uma média anual de colocação de US$ 20 bilhões. A situação anterior máxima chegou a US$ 12 bilhões”, afirmou a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, na reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) sobre o pré-sal, realizada nessa terça (29/9), em Brasília.

A ministra garantiu que esse nível de encomenda às empresas brasileiras é possível. Ela citou como exemplo os resultados da estratégia adotada desde o início da administração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de estimular a produção nacional. “O governo começou a fazer isso em 2003, quando ressuscitou a indústria naval brasileira, quando obrigamos um maior recurso local e que os investimentos fossem feitos aqui. Não fizemos um pedaço das plataformas P-53 e P-55? Não estamos fazendo novamente navios aqui dentro? Não vamos fazer sonda? Podemos fazer!”, salientou.

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Luiz Aubert Neto, defendeu menor tributação, juros baixos e financiamentos especiais para o setor recuperar a posição perdida. “Na década de 80, o Brasil era o quinto maior produtor mundial de bens de capital; hoje estamos em 14º. Eram 8 mil indústrias e hoje são 4 mil”, lembrou. “Podemos dar um salto, mas não depende só de palavras, vai defender de ação”, observou.

Questionada sobre esse cenário, a ministra Dilma admitiu o problema, mas reforçou que é possível recuperar o tempo perdido. “Vamos completar tudo aquilo da cadeia que acabou”, garantiu. E destacou que o pré-sal acelerará essa recuperação. “Fomos, no passado, o segundo produtor de navios do mundo. Ela (indústria naval) foi desmontada. Agora, no governo Lula, um pouco antes do pré-sal, em 2003, começamos a remontar. Todo o pré-sal só vai aprofundar ainda mais a política industrial de produzir no Brasil e criar aqui uma indústria de fornecimento, de navio, de sonda”, disse.

Dilma lembrou que na década de 80 a indústria de bens de capital chegou a superar a coreana, mas o desaparelhamento, que começou com a crise da dívida, em 1982, e se agravou até meados de 90, fez o segmento ser ultrapassado. “Por isso, quando o presidente Lula fala ‘nunca antes na história desse país’ há um fundo grande de verdade, porque somos os primeiros a investir e voltamos a fazer política industrial”, defendeu a chefe da Casa Civil.

De olho nos acontecimentos...

De olho nos acontecimentos...

Galo Até Morrer!!!

Galo Até Morrer!!!
Super Galo

Minha Princesinha

Minha Princesinha

Galerinha do Barulho rsrsrs...

Galerinha do Barulho rsrsrs...
Filhotes, Filhos

Minha vida

Minha vida
Família

EU E MINHA TURMINHA LINDA

EU E MINHA TURMINHA LINDA
FAMÍLIA