quinta-feira, 30 de junho de 2011

A camisinha mental

O sujeito devolveu o refrigerante, pois não tinha pedido Diet.

O amigo gentil ficou com o dele e resolveu o caso. Pode trazer outro? E a garçonete: Diet?

Se o cara não tivesse de camisinha seria um estrago...

Creio que está em fase de testes. Talvez seja lançada mês que vem no programa do Serginho.

É um conceito recente, wireless e não precisa de lubrificante.

As pessoas que já conhecem vêm dando depoimentos incríveis:

"quando uso, nada me aborrece, fico flutuando numa lagoa azul..."

Pois é, a camisinha mental deve ser tecida pelo próprio usuário, é mais ou menos como se fosse uma teia de aranha invisível de tão fina...

Mas, como tudo que é inovação, já nasce com polêmica - vai contra a liberdade de imprensa? Só pode ser vendida em farmácia?

O fato é que resolve dilemas e abobrinhas que vão da baixa auto-estima ao trato com chatos vernaculares - bota a camisinha!

De repente temos algo para reagir à contaminação mental que é a condição mais freqüente dos nossos dias - a mãe de todas as doenças:

Catástrofes, desastres, novas bactérias, mortes, sequestros...
·... a menina de dois anos deu tiro de revólver na progenitora...
dietas e astrologia de quinta categoria, rancores que a TV quer que você sinta...

E o que dizer dessas meninas coitadas que se apaixonam por alguma boneca loura e padronizada e passam a vida comprando alisante de cabelo?

Nada disso precisaria acontecer se estivessem com a santa camisinha

Tudo indica que o Dalai Lama usa e recomenda políticas públicas de não contaminação mental...

Por falar nisso, prevê-se um pico de vendas durante as campanhas eleitorais por que ninguém aguenta mais lidar ouvir tanta baboseira justamente na hora de construir esperança em outro futuro...

E tem mais: a camisinha é programada para não funcionar em pessoas cínicas e desabusadas

Há casos de sujeitos que atenderam quatro ligações de telemarketing seguidas, na hora do almoço, e nem tchum...

Nas reuniões de condomínio vem transformando a convivência em arte condominial, quem antes mordia e descabelava agora de mãos dadas no salão de festas...

"ao ouvir o pagode 'rala, rala na catraca' pensei que era um poema de Drummond, e quando ouvi o bolero de Ravel pensei que era a bateria da Mangueira..."

Parece que é multicultural também...

Tal qual sua antecessora, aquela de borracha, é pra usar na cabeça, e pode romper sim, tudo depende da qualidade do processo...

É melhor ir tecendo aos poucos, desde a infância.

Já existem planos concretos para lançar o Bolsa-Camisinha.

E esses fios invisíveis dependem daquilo que foi sendo digerido ao longo da vida...

E só assim seremos um país sem descamisados...

 

Fonte: Paulo Costa Lima é compositor. Bacharel e Mestre (University of Illinois), Doutor (USP e UFBA). Professor de Composição e Análise - UFBA. Pesquisador-CNPq. Membro da Academia de Letras da Bahia. Apresentações de sua obra musical (em 2010) incluíram festivais no Brasil, China, Suécia, Estados Unidos e França. Outras informações: www.paulocostalima.wordpress.com


Opiniões expressas aqui são de exclusiva responsabilidade do autor e não necessariamente estão de acordo com os parâmetros editoriais de Terra Magazine.

Leia esta notícia no original em:
Terra - Brasil
http://terramagazine.terra.com.br

De olho nos acontecimentos...

De olho nos acontecimentos...

Galo Até Morrer!!!

Galo Até Morrer!!!
Super Galo

Minha Princesinha

Minha Princesinha

Galerinha do Barulho rsrsrs...

Galerinha do Barulho rsrsrs...
Filhotes, Filhos

Minha vida

Minha vida
Família

EU E MINHA TURMINHA LINDA

EU E MINHA TURMINHA LINDA
FAMÍLIA