sábado, 22 de outubro de 2011

Construção dos módulos da P-63 está em ritmo acelerado


A obra de construção e montagem dos módulos da plataforma P-63, que está sendo feita pela Quip S/A em seu canteiro, na avenida Honório Bicalho, está dentro do cronograma estabelecido no contrato e em processo de aceleração. A informação foi dada pelo diretor de suporte corporativo da empresa, Marcos Reis, segundo o qual, a aceleração se deve ao fato de todos os equipamentos necessários já se encontrarem no local, as oficinas já estarem montadas e o pessoal necessário mobilizado.
Esse serviço começou no início de agosto. Estão sendo construídos seis módulos simultaneamente. Destes, quatro de forma mais acelerada e dois um pouco menos porque serão instalados mais tarde no casco da plataforma. Nesta etapa, em torno de 1,3 mil trabalhadores estão mobilizados. Outros três módulos estão em construção e montagem no Estaleiro Cosco, em Dalian, na China, uma vez que não havia espaço físico para fazê-los em Rio Grande e nem cronograma para encaixar no da plataforma.
A conversão do navio tanque BW Nisa em casco da P-63 também está ocorrendo no estaleiro Cosco, em uma parceria da Quip com o Grupo BW Offshore. Conforme Marcos Reis, houve um atraso no processo de conversão na China e a chegada do casco em Rio Grande, que estava prevista para dezembro deste ano ou janeiro de 2012, vai ocorrer entre abril e maio do ano que vem. Até lá, ele acredita que a obra de ampliação do cais já terá avançado e, pelo menos, o espaço necessário para atracação do casco estará pronto.
A obra de extensão do cais a partir da ponta sul do Porto Novo, ainda não começou. Consistirá na construção de mais 225 metros de área para atracação de plataformas. Reis relatou que o processo de licenciamento ambiental estava paralisado, mas com a assinatura, no início de setembro, de um termo em que o Ibama repassou à Fepam a competência para fazê-lo, o trâmite para licenciamento ganhou impulso. "A Fepam está agindo de forma muito eficiente", salientou. E a audiência pública do processo de licenciamento está marcada para 22 de novembro. O Estudo de Impacto Ambiental já está pronto e as medidas mitigatórias foram definidas.
A previsão é que essa plataforma seja concluída em dezembro de 2012. A P-63, investimento de US$ 1,3 bilhão, é uma plataforma do tipo FPSO (sigla em inglês para plataforma flutuante que produz, processa, armazena e escoa petróleo), que terá 334 metros de comprimento e irá operar no Campo de Papa Terra, na Bacia de Campos, no Rio de Janeiro. Terá capacidade para processar 140 mil barris por dia de petróleo e 1 milhão de Nm³/dia de compressão de gás.
A unidade irá gerar 98 Mwh de energia e armazenará até 1,4 milhão de barris de petróleo. Além de construir os módulos de processo, a Quip completará a integração dessas estruturas no casco e, junto com os demais parceiros, também fará a operação da plataforma nos primeiros 30 meses.
Fonte: Carmem Ziebell jornalagora
Construção dos módulos da P-63 está em ritmo acelerado
Montagem é feita no canteiros de obras da Quip

De olho nos acontecimentos...

De olho nos acontecimentos...

Galo Até Morrer!!!

Galo Até Morrer!!!
Super Galo

Minha Princesinha

Minha Princesinha

Galerinha do Barulho rsrsrs...

Galerinha do Barulho rsrsrs...
Filhotes, Filhos

Minha vida

Minha vida
Família

EU E MINHA TURMINHA LINDA

EU E MINHA TURMINHA LINDA
FAMÍLIA