sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Futuro do Rio Grande deve ser promissor

* 3ª Convenção Regional Lojista:

O Futuro Vem do Mar. Essa perspectiva ficou bastante clara para quem compareceu na 3ª Convenção Regional Lojista, realizada ontem, no Centro de Convivência Meninos do Mar (CCMar) e promovida pela Câmara de Dirigentes Lojistas do Rio Grande (CDL). Cerca de 250 lojistas, empresários e autoridades da cidade e dos municípios vizinhos participaram do seminário, que tratou do desenvolvimento do Rio Grande e da região.

A solenidade de abertura contou com a presença da Marinha do Brasil. Pela manhã, foi realizado o painel “A Influência do Polo Naval e outros investimentos no Comércio Regional”, que teve como mediador o jornalista Lasier Martins. O superintendente do Porto do Rio Grande, Janir Branco, falou sobre a “Revitalização da área portuária”.

Em sua apresentação, Branco abordou o momento do porto, os investimentos e projetos executados e por executar, e salientou ainda o apoio dos governos estadual e federal principalmente no que diz respeito à consolidação do Polo Naval. Ele citou a revitalização do Porto Velho e a possibilidade do Rio Grande se tornar porto concentrador de cargas.

Investimentos e Perspectivas

O prefeito Fábio Branco fechou o painel pela manhã com o tema “Investimentos e perspectivas para Rio Grande”. Ele tratou dos diversos empreendimentos previstos para o Município, como o Polo Naval, GNL, fábrica de celulose, indústria de MDF da Fibraplac, estaleiro Wilson Sons e outros.

O prefeito disse que o PIB do Rio Grande, que atualmente está na 7ª colocação no Estado, poderá se tornar terceiro ou até segundo colocado caso se confirmem todos os investimentos previstos. O número de veículos na cidade, que era de 42.300 em 2004, saltou para 75.150 e poderá chegar a 160 mil até 2020. A arrecadação do Município, que era de R$ 83 milhões em 2001, vai fechar 2009 em cerca de R$ 210 milhões, sendo que o ISSQN já empata com o ICMS, como maior fonte de receita.

Fábio Branco disse ainda que os reflexos dos investimentos da Petrobras em Rio Grande poderão proporcionar um total de 12 mil empregos diretos e 35 mil indiretos, nos casos da P-55 e P-63. No cenário até 2020, o orçamento municipal poderá passar para R$ 600 milhões e a população atingir 450 mil habitantes.

Usina e Terminal de GNL

O gerente da UTE Rio Grande, Osvaldo Deiro, falou sobre os investimentos para a construção da usina termelétrica e do terminal de Regaseificação de GNL, cujos investimentos atingirão US$ 1 bilhão e 400 milhões. Segundo ele, a expectativa é com relação ao leilão de energia, que deverá acontecer em dezembro. Deiro disse que o gás natural, além ser atraente economicamente, é energia limpa, de baixo impacto ambiental e constante evolução técnica. Rio Grande foi escolhida porque o porto é chave no processo. Os navios que transportam GLP são de grande porte.

Deiro explicou que o Estado é abastecido do gás da Bolívia, que já está saturado. Esse gás é limitado à Região Metropolitana e não há expectativa de duplicação do gasoduto. Com a usina e o terminal, Deiro adianta que inicialmente servirá para abastecer Rio Grande, Pelotas e municípios vizinhos, mas num segundo momento poderá alimentar a Região Metropolitana e alimentar até mesmo o Uruguai e a Argentina com o gás produzido aqui. Numa primeira etapa, o GNL será importado, mas depois poderá ser utilizada a produção natural do Pré-Sal. “A possibilidade de crescimento é enorme com a geração de emprego, impostos, alavancagem de novos negócios e já tem acordo assinado com a Sulgás para distribuição de gás em todo o Rio Grande do Sul”, disse ele.

Fonte: Jornal Agora

De olho nos acontecimentos...

De olho nos acontecimentos...

Galo Até Morrer!!!

Galo Até Morrer!!!
Super Galo

Minha Princesinha

Minha Princesinha

Galerinha do Barulho rsrsrs...

Galerinha do Barulho rsrsrs...
Filhotes, Filhos

Minha vida

Minha vida
Família

EU E MINHA TURMINHA LINDA

EU E MINHA TURMINHA LINDA
FAMÍLIA